quinta-feira, 11 de maio de 2017

Umbrella Sharing

Há muita tensão debaixo dos guarda-chuvas. Sobretudo quando as pessoas que os partilham têm alturas diferentes. É que há dois tipos de pessoas: os desgraçados que o levam e vão com uma mão gelada, e os chicos-espertos que não usam, mas que têm a lata de se colar a eles e ainda de se irem a queixar que vão a apanhar com alguns pingos no focinho ou a levar com varetas na boca. Dá vontade de fechar o guarda-chuva de repente e cravar-lhes com aquele bico de metal no meio dos olhos. E deixá-los ali. Na rua. A sangrar. Devagarinho.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Viagem de Finalistas a Torremolinos

Estavam 23 finalistas num quarto de hotel em Espanha a ver televisão e a beber chá, como é normal acontecer nestas ocasiões. De repente a televisão, talvez por causa do pó, começa a sobreaquecer e a deitar fumo. O grupo de finalistas, preocupado, divide-se: uns vão buscar extintores ao corredor e disparam-nos, enquanto outros pegam na televisão e levam-na, naturalmente, para a banheira, para lhe darem um duche frio que a ajude a arrefecer. Com a azáfama que se gerou, o bule do chá entorna-se em cima da cama, molhando o colchão. Os estudantes, mais uma vez preocupados, atiram o colchão pela janela para que possa secar ao sol durante todo o dia seguinte.
Mas as pessoas gostam é de dizer mal.

quinta-feira, 16 de março de 2017

Do Outfit

Sais de casa todo pipi para ir dar trinta voltas: não encontras ninguém conhecido.
Sais de casa em fato de treino, despenteado, só para ir despejar o lixo, e encontras: a boazona do 4º andar, uma reunião de condomínio no hall do prédio, três comerciais da MEO, NOS e Vodafone, as senhoras da empresa de limpezas, uma gaja boa a fazer jogging, um amigo do secundário, dois Hélderes, um conhecido a passear o cão, dois gajos de uma empresa de mudanças com uma grua à porta do prédio, um estafeta da Telepizza, uma gaja a meter publicidade no correio, gajos a entregar compras do Continente num camião, os gajos da manutenção dos elevadores e uma tuna.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

São Valentim vs Nazis da Gramática

Porque os nazis da gramática também merecem amar. <3
<3
- Princeza, hoje é o noxo dia!
- É. Mas o da Língua Portuguesa não deve ser hoje..
- Amote muito bebé!
- Mas o corrector ortográfico não te ama a ti..
- Estás assim por que estás com saudades..
- Tal como esse "por" e esse "que". Estão tão afastados que devem sentir a falta um do outro..
- Como é? Agente vai jantar hoje ao sushi?
- Escreves tão mal, que o "agente" devia era ir prender-te a casa.
- Ai desculpe lá se não escrevo tão bem como voçê..!
- Ao jantar podias comer era essa cedilha. Com batatas.
- Senão vieres jantar comigo, escusas de me voltar a falar.
- Se não aprenderes a escrever, escusas de me voltar a falar.
- Olha, vai há merda!
- *à

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Ouro, incenso e...?

- Que é que vais levar ao Menino, Belchior?
- Ouro pá. Ainda tive para lhe comprar uma pulseirinha da Pandora, em prata, mas achei que o ouro fazia pandã com as palhas da manjedoura..
- Hum. E tu, Baltazar?
- Incenso. Apanhei a Natura com 20% e despachei logo a coisa. E dá sempre jeito, que aquilo com o burro e a vaca dentro da barraca.. vai lá vai. Nem se percebe quando é que o miúdo tem a fralda cheia..
- E tu, Gaspar?
- Ainda nem comprei nada..
- Deixas sempre tudo para a última. Compra uma caixa de Ferrero..
- Nã.. Tenho ali uma ervinha da boa no quintal. Até os tomates "mirra"!
- Mas serve para quê..?
- É "medicinal"......!
- Como é que se chama?
- Não sei. Depois invento um nome..

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Filtros do Snapchat

Se as gajas achassem durante tanto tempo piada à roupa que compram, como acham àquele filtro ridículo com orelhas, focinho e língua de cão do Snapchat, a Bershka e a Zara só faziam saldos de dez em dez anos. É que ainda por cima quem o usa são as gajas boas, aquelas que um gajo só segue por ser apreciador de bom chavascal. É triste quando abres aquilo à espera de a veres de um ângulo que favoreça a prateleira, e aparece ela com o focinho de um rafeiro alentejano ou com a língua de um gran danois. Vou começar a comentar "Tenho aqui um osso para tu morderes, canina." Só para ver se meto um travão nisto. Serviço público.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Rasgos de Simpatia Só Porque Sim

Às vezes apetecia-me ser simpático e chegar às fotos que as minhas amigas partilham no ginásio e escrever: "Ainda me lembro de quando eras balofa no Secundário e inventavas desculpas para não fazeres Educação Física. Bons tempos! Quando era atletismo ou ginástica, tinhas o período três vezes por mês. E apresentaste tanto atestado médico, que mais depressa te imaginava a fazer fisioterapia aos 20 do que ginásio aos 30. E quando deixavas as sapatilhas em casa de propósito para não fazeres aula? Agora até descalça eras capaz de ir para o ginásio. Roçar-te nas máquinas. Para fazeres séries de 150 selfies. Parva do caraças.."

A Mosca da Vitrine

Há sempre uma puta de uma mosca na vitrine dos bolos. Só uma. Solitária e diabética. "Ah, deixa-me cá sentar o cu no pastel de nada. Ui, é fresquinho. Vou mas é esvoaçar até ali ao jesuíta. Já estive pousada na arrufada mas o côco arranha-me a peida." Se a ideia é meter nojinho e evitar que comamos bolos, não está a resultar. Até podiam ser varejeiras. Bolos são bolos.